segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O Aviário



A velhinha Escola da Serra dá os seus últimos ares de graça, com os gritos alegres e gargalhadas das crianças, que correm em redor do seu extenso recreio, a romper o homogéneo burburinho basal da vila. Por pouco tempo, pois. Assim que estiver concluído o absurdo arquitectónico do centro escolar, a melodia abafa-se entre quatro paredes. Ao contrário dos tempos de fundação da república, a filosofia dos espaços amplos ao ar livre dá agora lugar ao campo de concentração, onde alunos, vindos de todo o lado são atolados e desatolados, das 8 às 20, como pintainhos, em espaços exíguos e o recreio mirra-se à confrontação. Alguns mal põe os olhos nos pais. Perante a prisão de cimento, sem jardins ou árvores, e de horizontes diminuídos, não há razão para brincar. Entra-se num estado de entorpecimento e abnegação. A isto se junta a videovigilância generalizada e os chips. Um processo de dessensibilização das massas, desde pequenos, para a espiral controleira que caracteriza o nosso mundo . Depois admiram-se que os franceses gritem contra a fatalidade imposta do "metro, trabalho e sepultura". Daqui a uns anos, e como galinhas de aviário, nem discernimento restará para a contestação.

10 comentários:

Anónimo disse...

E o Vitor pensa que das 8 às 20 não é o que os Pais querem??? alguns nem se importavam que os filhos pernoitassem por lá!!!

Cumprimentos

Vítor Pimenta disse...

Não. Não penso isso. Aliás seria palerma se pensassse que a esmagadora maioria dos pais quer depositar filhos assim. Desculpe. Isto é fruto do mercado de trabalho actual e das suas condições cada vez menos humanas.

Anónimo disse...

eu diria mais um nal maior hs

Anónimo disse...

vitor, é verdade.muitos pais querem e preferem os filhos na escola, ainda que ao molho e a desaprender, do que em casa ou com os avós porque isso dá muito trabalho

Anónimo disse...

Mercado de trabalho? nem todos, há uma grande parte que vão levar os filhos à Escola, e ficam todo o dia nas esplanadas dos cafés, eu sei doque falo...

Anónimo disse...

E realmente uma aberraçao este investimento ..Os miudos ficam sem espaço para recreio. a construçao e feita em cima de casas tudo atolhado . e mais uma obra no arco que se faz so por fazer.. E o mais importante nisto tudo e o bem estar das crianças, que saem prejudicadas...
E pena porque inda vou ouvir muitos arcoenses a dizer que foi uma grande obra.. grande??? so se for nos milhoes investidos.......

Anónimo disse...

nao vai haver barraco pra jogar a bola nem parede pra jogar ao branco quando acabar as aulas.hs

Anónimo disse...

Boa tarde Vitor. Era para ver se podias divulgar o seguinte:
Realiza-se no fim-de-semana de 23 e 24 de Outubro no Pavilhão Multi-Usos de Montalegre mais uma edição do 2º Torneio de futsal desta vila, numa organização da edilidade local.

Para a edição deste ano, a organização convidou os campeões europeus Sport Lisboa e Benfica, o também primo divisionário Grupo Desportivo Boticas, e as equipas da 3ª Divisão Nacional Contacto Futsal e Grupo Desportivo Macedense.

Coube a honra de na abertura deste Torneio a equipa da Contacto Futsal defrontar o Benfica, num jogo que permeia todo o trabalho desenvolvido pelos homens de Cabeceiras ao longo deste últimos anos.

Eis o Programa de Jogos deste “IIº Torneio de Futsal Vila de Montalegre 2010”:

Sábado, 23 de Outubro

20:30 – Contacto Futsal vs SL Benfica

21:30 – GD Boticas vs GD Macedense

Domingo, 24 de Outubro

18:00 – 3º e 4º lugar

19:00 – Final

Obrigado
(mais informações em www.contactofutsal.pt)

Anónimo disse...

Ainda hoje passei pela escolinha da serra e logo recordei o toque daquela estridente campainha que tanto nos alegrava aquando do toque para o intervalo. Passei por lá 6 anos da minha vida (primaria + telescola)ainda me recordo de por lá jogar futebol tanto no campo como nos cobertos de entrada. Aquele largo da Serra amplo e airoso onde em setembro colocavam os carrinhos e algumas barraquinhas. São algumas destas recordações que ainda nos fazem apegar à "terra" (Arco), mas pouco a pouco estas recordações esmorecem esses laços vão sendo cortados. Compreendo q os tempos mudam compreendo que são necessarias mais infraestruturas, compreendo q é necessario acompanhar a evolução, não compreendo e não acredito que esta forma de amontoar-centralizar quer sejam pessoas ou serviços sejam o melhor caminho.


Ass. MT

Anónimo disse...

Claro que o autor do post tem toda a razão, no que se refere aos considerandos enumerados. No entanto, por aquilo que se vai ouvindo, aquele edifício (atenção eu disse edifício) poucas saudades vai deixar quer aos alunos quer aos professores e demais pessoal que por lá trabalha. Está cada vez mais degradado, sem materiais e os que possui estão ultrapassados e ou avariados, a refeição que aí se serve às criãnças é uma vergonha, parecem sardinhas em lata, quem se lixa são os mais pequenos. apesar disso no novo centro escolar e neste asp'ecto a coisa não será muito melhor a não ser mesmo tratar-se de uma casa nova. curioso é ainda verificar-se que só vai ter oito salas. outra habilidade? assim parece.n vai perder a eb 2 e 3 e a nova (espaços, cantina, etc.)