quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Sol e a Peneira

Dá-me algum riso, no meio da comédia, estes recentes e miliciais protestos pelos postes de alta-tensão pregados por montes e vales em diante, sobre paisagens protegidas e espécies de caracóis raros. Os postes que nem às cegonhas incomodam.

Mas não se pode viver com nada por perto. Nem postes, nem antenas de telemóveis, nem telemóveis, nem ondas de Rádio e televisão, nem ondas curtas fm, nem cimenteiras ou incineradoras, tão pouco centrais nucleares, nem estações eólicas, nem moinhos, nem retretes. Tudo causa cancro, doenças e males como tais, mais sólidos ou líquidos. O pavor do que não se vê e só por vezes se cheira. Não interessam as 12 gramas de sal que cada português come por dia, rincha e carne de porco com a gordura a papoilar, não interessam dietas parcas em vegetais ou fruta, tão pouco o exercício físico que fica por se fazer, a vida de stresse ou a falta de sexo. Interessam as antenas. Interessará também abrir guerra ao Sol, pelo cancro de pele e outras coisas que tais, menos boas que a fotossíntese ou a vitamina D. Em consciente moderação portanto. No País dos excessos vale mais tapar o Sol com a peneira.

6 comentários:

Correia disse...

Não está provado cientificamente que os postes de alta tensão ou as radiações de telemóveis não provoquem o cancro. Há até grandes suspeitas de que uma exposição permanente possa riginar tumores. Veja-se o que se passa na vila de Serzedelo em Guimarães, atravessada por gigantescos postes de alta tensão, e onde a incidência de cancro aumentou consideravelamente, quando comparada com o resto do concelho ou até da região Minho. Porquê ali, o aumento da incidência de cancro?, pergunta-se. As empresas garantem que há total segurança, mas manda a prudência que devemos estar com um pé atrás, quando estão interesses económicos envolvidos. Admiro a coragem nas posições do autor, mas se calhar nunca passou pela experiência de ter um poste de alta tensão por cima de sua casa, ou uma antena de telemóveis da tmn, bem junto à sua habitação e com os filhos a brincarem permanentemente no quintal. Faz - me lembrar um ditado antigo: Pimenta no rabo dos outros para mim é refresco! Um abraço

Vítor Pimenta disse...

Lol. Agradeço-te o comentário com a sua pitada de humor. òbivamente a mensagem que quero passar é alertar para outros factores de risco que, tidos como de sempre, são constantemente ignorados.

Nunca vi ninguém protestar com quantidade de Sal que se mete no pão, pela indústria panificadora. Esse elemento que sendo essencial em moderação, é no seu consumo exagerado e à portuguesa, a grande causa da Hipertensão Arterial e a alta taxa de mortalidade e morbilidade por Acidente Vascular Cerebral que envergonha o país lá fora.

E pelo contrário, muitas vezes chega-se ao ponto de dizer que Tabaco antigamente não fazia mal. Este é que faz. A diferença é que antes morria-se mais antes dos 40 ou 50.

karyma disse...

Olá:). Parece-me que não se pode desvalorizar os efeitos nefastos de postes, de antenas de telemóveis e tudo o resto comparando-os com os efeitos da alimentação. No que respeita ao sol, há pouca consciencialização e o nível de incidência do cancro de pele é assustador.Confesso que ando bem mais preocupada com os químicos existentes em desodorizantes, champôs, sabonetes, cremes, com a qualidade da água que bebemos, com a farinha utilizada na preparação do pão...A lista é infindável, mas como diz a minha mãe após anos de prática clínica, não vamos morrer cheios de saúde:)).

Anónimo disse...

existem duas diferenças significativas...

Enquanto que uma está relacionada com as decisões e a liberdade de cada um (p.ex: comer com mais ou menos sal) é uma opção do individuo que a exerce na sua autonomia, a outra é uma realidade diferente, é uma opção que lhe é imposta e daí surge conflito de liberdades...

faz lembrar o velho cliché
"A minha liberdade começa onde a tua acaba"

Paulo Vieira disse...

Sonhei que o curso destes cabos de "alta e muita alta tensão" num futuro proximo seria subterreneo. Mas ainda assim os problemas não desapareceram porque logo surgiu uma "manif" dos ambientalistas em defesa das toupeiras, minhocas e outros bicharocos que vivem debaixo da terra... não se pode agradar a todos e o progresso também não pode ser desculpa para tudo...

Nem com muito sal nem insosso...

Abraços

P.S. Deve haver algo de errado com o blog porque já é a 4 vez que tento postar o meu comentário

Charlene disse...

Só tu para escreveres um texto tão inteligente repleto de sarcasmo,ironia e comicidade sobre um assunto que, pelos vistos, incomoda tanta gente.Sabes que sou leitora assídua do teu blog mas aproveito aqui para te dar os parabéns.