quinta-feira, 6 de março de 2008

Estes Bloguistas Incendiários...







"Perguntem a alguns “blooguistas”, retratistas e repórteres cá do burgo qual a intenção ou os motivos subjacentes à foto difusamente divulgada, tirada por detrás das vigas de um prédio em construção na Av. Sá Carneiro, a mais de 100 metros de distância, para obter a imagem mais desfocada, mais desfigurada, do que é para nós a maior jóia cá da terra, o Mosteiro e as suas torres. Seria bem mais fácil e útil, conhecê-las por dentro, subir pelas escadas até ao zimbório e contemplar o encanto da paisagem e a beleza e a grandeza desta terra em franco desenvolvimento.Há uma fábula bem conhecida “o menino velho e o burro”, que nos deixa um ensinamento que deveríamos assimilar desde crianças, não deveremos ver as coisas apenas pelo lado mais simples ou conveniente. Quantas vezes bastaria dar um passo ao lado (à direita ou à esquerda, não importa), para ter outra visão da realidade e alcançar horizontes que a “objectiva” só por si, não capta, caso “o fotógrafo” assim não o queira.A estes, e aos seus mais apaniguados seguidores, deixo uma sugestão, para um exercício muito simples: Coloquem-se, agachados, por trás das costas de um “Judas” qualquer, e vejam se lhe conseguem ver a cara…"


Uma coisa é certa: destes opinadores escondidos sob iniciais se não se lhes descortina o nome que fará a cara... Enfim, estranho hábito cabeceirense - este sim - que parece arrastado desde a Velha Senhora.

5 comentários:

Eduardo disse...

Era previsível que a "ira do Deus Cabeceirense" se abatesse sobre os blogs como o "mal maior" ou o "remisso". Há que atrair e despertar na "turba situacionista pensante" que se senta à mesa do orçamento municipal´, o ódio contra aqueles que criticam ainda que construtivamente, o que se faz nesta e noutras terras. Mas como esta é a Coutada do Deus Cabeceirense" é esse mesmo Deus que não permite sequer pensar em criticar, quanto mais dizê-lo. Pensará o mesmo Deus, que está acima de todos os cabeceirenses e controla afincadamente todos os seus movimentos cerebrais: "é uma blasfémia e é contra Deus, opinar ou ousar sequer pôr em causa, a obra grandiosa concebida por esse Deus sagrado". Todos os que criticam devem ser banidos e deve ser limitada e condicionada a sua partivcipação cívica, bem como o Direito à cidadania. Ora como diz e muito bem o autor deste blog, ainda que de uma forma leve, os pensamentos e práticas de um misterioso A.C, que eu ponho o pescoço em como sei quem é, são próprios do tempo da outra senhora. Eu diria mais Vítor. Este A.C sabe que muitos dos que recebem este panfleto em casa, são analfabetos e incultos ( nem todos claro) e que este discurso pega nos menos informados.´São estas práticas de "educar consciências" condicionar o debate de ideias e limitar a expressão da cidadania, que alimentam as ditaduras, em Cabeceiras e noutras partes do mundo. E é fácil adoptar o discurso do "Ou eu ou o caos". Por isso é que a mudança em cabecieras é tão difícil. Aconselharia a ler, se já não o fizeste um livrinho chamado "Admirável Mundo Novo" de Aldous Huxley, ou então ""Vigiar e Punir" de Michel Foucault" e se o fizeres encontrarás com certeza muitas analogias com a nossa triste realidade cabeceirense.

eu disse...

Para quem ainda não reparou, vivemos num Reino, onde o seu Rei faz e desfaz a seu belo prazer. Manda "cortar cabeças" à oposição e a todos os detratores do sistema. Vivemos numa terra oprimida, onde o compadrio é cada vez mais latente. Como uma grande figuro do PS disse há alguns anos "Quem se mete com o PS leva", na realidade cabeceirense é mais: "Quem pensa em meter-se comigo leva". É triste o nível democrático em cabeceiras, é triste a opressão exercida pelos senhores do poder ao "zé povinho". O Ecos de Basto, por sinal um extensão do poder camarário, faz um péssimo serviço à sociedade cabeceirense. Crónicas sem assinatura, que servem para atacar(grande parte das vezes) com calúnias várias personalidades, ou entidades de cabeceiras (eu sei do que falo porque já fui visado por esses jornalistas de meia tigela). Um jornal, que apenas serve os interesses do poder autarquico e das suas ramificações (empresas municipais e associações).
É triste viver num concelho onde´os responsáveis apenas fazem uma gestão para controlar o poder (do mais PIDESCO possível) e o pior é que há alguem a nivel nacional a começar a copiar estas políticas

Ferreira disse...

Só um Movimento de "Uma Geração de Gente Capaz" conseguirá democratizar esta terra. é absolutamente inademissivel que se queira calar quem que tem opinião. eu li hoje o tal A.C, sei quem escreve porque trabalhei com o Ecos de Basto, e iste tipo de escrita reflete os sentimentos de um grupo de "gente que faz"(Slogan de Barreto nas ultimas Autarquicas) mas faz mal`as pessoas.
já não adianta dizer que se fez ou que se faz obra(Cimento), porque também foi para isso que foram para lá.
Não é fácil soltar o Polvo, mas também não é impossivel, hajam vontades e ideias em torno de um projecto consciente e livre de opinião com gente sem medo.
deixo uma questão:
com que direito essa gente se julga para seerem os únicos a governar cabeceiras?
não existe o poder eterno, não exite o direito de "castrar" a opinião, NÃO PODEMOS DEIXAR QUE ESTA POLÍTICA DESASTROSA CONTINUE EM CABECEIRAS. Victor, como dizia Zeca Afonso "O Povo é Quem Mais Ordena" façamos todos em conjunto força para que deixem o povo pensar, quando isso acontecer livramo-nos de uma casta de gente podre e sem valores. compreendo a tua desilusão, mas desistir de lutar é dar a vitória aos cobardes. Os partidos como o PS ou o PSD de cabeceiras, são coisas onde não reinam os Valores, as ideias, as mentes sãs, a credebilidade, a transparência ou a Livre opinião e crítica.
por fim uma pequena história: " era uma vez um partido socialista numa terra distante, que criava carneiros para matar em dias de festa, esse partido ,comandado por um sanguinário, escolhia oas carneiros para abate em função da sua robustez, quanto mais afoito e livre o carneiro quisesse ser mais perto ficava da faca do comandante. um dia a coragem de alguns carneiros levou-os a pular a cerca e a correr para liberdade. até hoje, o Terrivel sanguinário comandante, sonha todas as noites com uma invasão de carneiros livres e robustos pela sua quinta dentro mudando e aprefeiçoando o mundo dos seus co-cidadãos deste reino "animal". mas este tormento assombra o ditador e leva-o a perseguir quem se parecer com Liberdade.

Anónimo disse...

Tanta força de trabalho que se perde no nosso concelho. No fim, o somatório destas forças é nulo pois não passam de vaidades pessoais em divagações exibicionistas. Hei lá, fiquei contagiado... (podia utilizar um nome qualquer)

Anónimo II disse...

Pois este anónimo a avaliar pelo comentário é dos que partilha da cartilha muito em voga nesta terra, que é zelosamente incutida em todas as consciências ( menos na minha) de que: "Ou nós ou o caos". "Nós é que somos os bons, os outros são um bando de burros, mentecaptos e incompetentes que só têm vaidade e não prestam para nada". Onde é que eu já ouvi isto????????? O tempo do quem tem olho é rei em terra de cegos, meu caro anónimo, felizmente já passou. Pense pela sua cabeça que eu penso pela minha