domingo, 6 de março de 2011

festival da intervenção


homens da luta - a luta é alegria

gera-se discussão nas redes sociais sobre se a motivação política na canção dos 'homens da luta', que portugal decidiu levar à eurovisão, há-de desclassifica-la por violar um qualquer ponto 6 do um qualquer regulamento. contudo, os temas políticas mais ou menos implícitos não são novidade na nossa história eurovisiva. é óbvio que a canção de neto e falâncio (e há ali uma tipa que desafina como uma mula) não é a obra-prima arrebatadora de carlos mendes em 72 ou mesmo a de fernando tordo em 73, mas num festival abandonado pelos poetas portugueses e face à qualidade duvidosa em que redundou a eurovisão ultimamente, esta sátira é o que a europa merece.

5 comentários:

Jose Antonio Nobre disse...

É muito bom que "dê que falar". Certamente que, sobre isto, "haverá [ainda] muito a dizer"... Eu, por mim, revejo-me nesta escolha, sirva o barrete a quem servir!... Até a Europa não fica imune a esta brincadeira afinal, tão séria. Seria bom pensar este acontecimento, cruzando-o com os acontecimentos à volta da "geração à rasca"...
Bora lá?...

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=NZdmpmwMQR8

lol

Anónimo disse...

....ainda vão vencer....até teria piada!.....

Paulo Pinto disse...

Só agora, no blog, vi e ouvi a canção. Portugal vai finalmente dar que falar na Eurovisão, isso é garantido! É uma canção de protesto, e protestar é preciso. Pena é que pareça o hino do PCP, com Catarina Eufémia e tudo. Se a canção tivesse um pouco mais de qualidade, fosse mais bem cantada e não se passasse em 1975, até poderia ganhar o Festival, como diz o anónimo das 20.18h.

Echo disse...

Acrescento um exemplo aos que já deu: a Simone de Oliveira, quando cantava no "Sol de Inverno" os seguintes versos:

"bandeira vencida,
rasgada no chão"

que parecia ser uma tacada contra o regime!