quinta-feira, 11 de março de 2010

Bulling

Não sou pedopsiquiatra nem pedagogo, tão pouco professor. Mas acho que esta tendência de alguns miúdos em fazer valer o músculo à fragilidade ou à razão de outros de menor envergadura, pode conhecer novos domínios quando se concentra ensino básico 1,2 e 3 numa área tão apertada. Daí que se impõe, de novo, a reflexão sobre a inteligência no projecto do Centro Escolar de Arco de Baúlhe.

8 comentários:

Rui Andre disse...

Sem dúvida!!se essa situação já acontecia no passado, apenas conhecida como como violência nas escolas, actualmente com a internacionalização da coisa (bulling)o tema virou um grande problema!!

Relativamente ao aparecimento dos centros escolares, penso que novas medidas terão que ser adoptadas para impedir ou pelo menos, dificultar a tarefa daqueles que usam a força e a audácia para conseguir determinados objectivos doentios para com os mais novos!!

É que há quem diga que, no que toca a segurança infantil, o Arco de Baúlhe ainda é uma "terra santa" pois possibilita que muitos deles tenham grande "liberdade"!!!Só espero que assim continue..

Anónimo disse...

centro escolar do arco modelo exemplo?

Se bem me lembro os alunos do arco quando chegavam e quando chegam ao Externato em Refojos pareciam autênticos indios à procura da sua tribo...

Não venham com falsas modestias este problema chamado "bulling" existe em todas as escolas.

Anónimo disse...

olha-me este cowboy...

Vítor Pimenta disse...

haha às 21:27 :)

Anónimo disse...

isso da escola ser ampliada para 1, 2 e 3 nao faz com que haja mais bulling.

O que tem de haver é mais segurança.

Os professores têm muitas regalias (funcionários do estado), porque não por mais segurança nos recreios, pelo menos?,eram so mais uns trocos em comparação?

Quando andava na escola levei tambem algumas das empregadas, isso nao é bulling?,ai se fosse agora...!

Vítor Pimenta disse...

está-me a dizer que anexar dentro duma mesma área mais um nível do ensino básica, reduzindo o espaço vital relativo, não conduz a maior stress e maior tendência à conflitualidade? vá dizer isso aos investigadores em neurociências.

e o que quer dizer com "mais segurança". quê? polícias, videovigilância? é rir para não chorar.

Paulo Pinto disse...

Os riscos de maior stress e conflitualidade existem, realmente. Mais do que nos espaços exteriores, que continuarão a ser suficientes, serão os espaços cobertos usados nos tempos livres (sala de convívio, bar, refeitório, biblioteca...) que mais sofrerão o impacto do súbito aumento do número e da diversidade etária dos alunos.
Quanto ao bullying, acho que o principal é os pais e os professores estarem bem atentos aos sinais, porque uma criança atormentada sempre dá a entender que algo errado se passa. Igualmente importante é que os próprios jovens sejam sensibilizados para intervir ou denunciar o assédio e a violência sobre os colegas mais fracos ou vulneráveis, cultivando entre eles valores e princípios éticos e de convivência.
Não se pode erradicar o problema, mas pelo menos pode-se evitar tragédias como a de Mirandela.

Anónimo disse...

ó anónimo das 20:48, d certeza k alguem do Arco te bateu e certamente foram bem dadas, pel maneira k falast j sofrest n pele o preç d ser cabeceirense, lol...
A tua prima gostou k m vestisse d indío antes de... tu sabes...
Cabeceiras é merda...